Febre interna: Causas, Sintomas e Tratamento

A febre interna realmente existe? Essa é uma pergunta muito comum, já que muitas pessoas se queixam de terem passado por esta situação e hoje veremos o que é febre interna e como ela ocorre no corpo humano.

Inicialmente, precisamos explicar que de acordo com estudos e pesquisas realizadas na área científica, a febre interna não existe dentro da literatura médica. Entretanto, como isso é possível já que diversas pessoas já alegaram ter tido este sintoma? Vamos esclarecer neste artigo.

Apesar de não haver o aumento da temperatura da pessoa, a mesma afirma sentir todas as características ocorridas em uma febre: ela sente seu corpo muito quente, calafrios, mal-estar e até chega a suar frio; entretanto, ao verificar seu estado em um termômetro, o dispositivo indica 36 ou 37 graus, o que não caracteriza febre.

Todavia, mesmo que o aumento da temperatura não seja marcado pelo termômetro, a sensação de febre e calor interno são sentidos pelo paciente, por isso, é comum as pessoas afirmarem estar com febre interna.

É importante salientar que a febre só é de fato perigosa, quando atinge mais de 39 graus, o que pode ocorrer rapidamente, especialmente nas crianças e em bebês – e provocar convulsões.

A temperatura corporal quando está em até 38 graus, é considerada levemente febril ou apenas alterada por alguns momentos. Assim sendo, é conveniente apenas tomar um banho fresco ou diminuir a quantidade de roupas, para resfriar o corpo.

Além disso, técnicas caseiras como compressas de água fria ou sucos e água geladas são bem-vindos; também pode ser administrado um remédio antitérmico a fim de sanar o problema.

Quais são as causas de uma febre interna?

Dentre as principais causas de febre interna estão:

  • Ovulação feminina durante o período fértil;
  • Crises de ansiedade;
  • Estresse;
  • Choques emocionais.

Porém, estas últimas causas podem ocorrer em ambos os sexos.

Ademais, após realizar alguma atividade física extrema (acima do habitual), algumas pessoas afirmam sentir um início do que é febre interna. Como por exemplo, depois de andar alguns quilômetros ou carregar malas muito pesadas. Porém, após alguns minutos de descanso é natural que a temperatura corporal volte ao normal.

Outro fator que pode ocasionar essa desagradável sensação é o início de resfriado, sinusite ou gripe. Diversos pacientes já relataram em consultórios a ocorrência de febre interna associada com sensações de mal-estar, fadiga e cansaço. Essa junção de sintomas pode ser combatida, logo no início das doenças, com infusões caseiras, analgésicos e antitérmicos.

Sintomas que ocorrem durante a febre interna

Ainda que a febre interna não possa ser comprovada cientificamente, os pacientes alegam sentir os mesmos sinais de uma febre habitual (aquela expressada pelo termômetro ao marcar mais de 37,5 graus corporal), tais como: suor frio, impressão de calor maior que o normal, arrepios e/ou calafrios, dores de cabeça e fadiga.

Todavia, ainda que não haja marcação de aumento da temperatura corporal, é muito importante que a pessoa esteja atenta aos sintomas citados acima. Em caso de persistência dos sinais e até piora do quadro clínico, é necessário ir a um médico e explicar o que está ocorrendo.

A partir da consulta médica e da avaliação do profissional da saúde, é possível iniciar o tratamento e entender o porquê do surgimento da febre interna. Alguns profissionais podem solicitar exames de sangue e de urina e até raio-X, com o intuito de rastrearem algum problema como infecções ou lesões internas.

É recomendado que o indivíduo busque um auxílio médico sempre que a febre interne vier acompanhada de sinais mais sérios e inconvenientes, como: vômito e/ou diarreia, tosse ininterrupta, feridas no corpo, aumento repentino da temperatura para mais de 38 graus, desmaios, confusão mental e sangramentos inesperados e sem motivo aparente.

Agora que sabemos o que é febre interna (que se trata de uma sensação de febre comum) e seus sintomas, vamos entender se isso se trata de uma enfermidade.

A febre não é, pela medicina, considerada uma doença; ela é classificada como um sintoma de algo que ocorre no corpo humano. Basicamente, a febre é uma reação natural do organismo que ocorre quando o corpo combate algum tipo de “intruso”, como vírus, bactérias, fungos, etc.

O que é febre interna X O que é febre emocional

Anteriormente, falamos sobre a existência da febre interna como um dos sintomas de crises de ansiedade, crises de estresse ou ainda de grandes choques emocionais. E que isto pode ocorrer tanto em homens, quanto em mulheres. Recordou? Então vamos adentrar mais neste assunto.

Este tipo de sintoma também é chamado de febre emocional, que é desencadeada a partir de situações dramáticas.

Segundo alguns estudiosos a febre emocional é psicogênica (que possui origens psíquicas e não causas orgânicas, físicas) e existe basicamente uma diferenciação entre dois tipos de febres, veja:

  • A hipertermia: ocorre quando em algum dado momento o paciente tem um aumento abrupto da temperatura do corpo;

  • A febre emocional: trata-se de constantes e recorrentes aumentos da temperatura do sujeito. Após exames é possível avaliar se isto deve-se à exposição de estresse e ansiedades diárias.

Febre emocional

Além do aumento da temperatura corporal, a febre psicogênica traz outros sinais como suor em excesso e enxaquecas. Pessoas que possuem TAG (transtorno de ansiedade generalizada), fibromialgia ou transtornos mentais estão mais susceptíveis a ter este tipo de sintoma.

Também é possível que crianças apresentem febre psicogênica, principalmente quando passam por problemas como abusos, bullying, enquanto vivenciam a separação dos pais ou passam por mudanças repentinas de rotina. Por isso sempre é importante observar os filhos e sobrinhos, a fim de tratar possíveis doenças sejam físicas e/ou psíquicas.

O reconhecimento da raiz deste problema é difícil, pois pode ter inúmeras causas. Comumente, um clínico geral, psicólogo, psiquiatra ou neurologista podem, através de consultas e diálogos com o paciente apontar a origem do problema e excluir a existência de outras enfermidades.

Para o tratamento de febre emocional, é recomendado a terapia e, frequentemente, ocorre a prescrição de remédios ansiolíticos – que atuam no alívio do estresse e da ansiedade.

Dessa forma, é importante ressaltar a relevância do cuidado com a saúde mental e a necessidade de zelo com as nossas emoções. Afinal, é possível ficar com o corpo doente a partir do momento em que não cuidamos do nosso psicológico.

Aprenda a medir corretamente a temperatura

A maneira mais segura de averiguar se uma pessoa está com febre, é através da medição de temperatura em um termômetro. Abaixo, entenda o que significa cada número apontado por este instrumento:

  • 35° ou abaixo disso: sinal de hipotermia;

  • 36° a 37,5°: temperatura normal;

  • 37,6° a 39,5°: febre;

  • 39,6° a 41°: febre alta;

  • 41° ou acima desse valor: hipertermia.

Obs.: em casos de febre acima de 41° é necessário a ida rápida a um hospital ou pronto-socorro, pois a pessoa pode sofrer convulsões e até mesmo falecer.

Especificarem o modo de uso dos três dispositivos mais comuns: o de vidro, o digital e o infravermelho.

Os termômetros de vidro ou digitais possuem uma ponta metálica que deve ser inserida na axila, boca ou ânus e após o sinal sonoro ou cerca de 4 minutos será possível averiguar a temperatura.

Já o aparelho com infravermelho é mais simples de utilizar: basta direcionar a ponta para a testa do indivíduo ou para a abertura de sua orelha, após o sinal sonoro, aparecerá na tela do termômetro a temperatura da pessoa.

Vale ressaltar que a medição da temperatura deve ocorrer com o paciente em repouso. Não é recomendável medi-la após esforços físicos, banhos mornos, exposição à sauna ou ao sol, afinal, possivelmente a pessoa indicará uma temperatura maior que a verdadeira.

Mito ou verdade: a febre aumenta à noite?

Algumas pessoas já afirmaram para médicos e especialistas que, quando têm febre durante o dia, sentem que ela aumenta e se agrava durante a noite. Isso é possível? Afinal, será só uma impressão ou a ciência explica essa afirmação?

Isto é verdade: a tendência é que a febre aumente durante a noite. Isso ocorre pois o hipotálamo, geralmente, está mais enérgico durante a noite e pode ocasionar o aumento de calor enquanto o indivíduo dorme. Mas o que é o hipotálamo?

O hipotálamo é uma parcela do nosso cérebro responsável pela produção de hormônios que ajustam a nossa temperatura corporal.

Ademais, em consequência de um bom funcionamento do metabolismo, é natural que no decorrer de um dia a temperatura do corpo vá aumentando gradativamente; assim, a noite é normal a sensação de mais calor. Muitas pessoas inclusive reclamam que, especialmente no verão, têm dificuldades para dormir e produzem suor excessivo.

Todavia, é primordial destacarmos a diferença entre o que é febre interna e o que significa a febre noturna. A febre noturna, na ampla maioria dos casos, pode ser combatida com banhos frescos, quarto arejado e soluções caseiras como já dissemos.

Porém, em caso de persistência de febres todas as noites, é importante buscar a ajuda de um médico, pois existem doenças graves que ocasionam este sintoma, a saber HIV, Lúpus e alguns tipos de câncer, dentre outras enfermidades.

Febre interna como sinal de estresse: como combater?

Já falamos sobre a possibilidade de a febre interna caracterizar um quadro de estresse e ansiedade. Agora, vamos entender como alguns remédios caseiros podem ajudar na luta contra esses males que a cada dia atingem mais pessoas.

Devido à correria diária, prazos malucos no trabalho, trânsito caótico e toda a rotina da vida moderna, muitas pessoas sofrem com os sinais do esgotamento e fadiga mental. Os sintomas são muitos como febres internas, insônia, sobrepeso, ansiedade, bruxismo, dentre outros.

Algumas coisas simples podem ser realizadas a fim de diminuir este quadro nos pacientes. Dentre as soluções caseiras podemos citar:

  • A importância de uma alimentação balanceada;
  • A prática de exercícios físicos.

Além disso, a ingestão de famosos alimentos “calmantes” como:

  • Chá de erva-cidreira;
  • Chá de maracujá;
  • Vitamina de banana;
  • Etc.

Também existem muitos remédios que podem ser prescritos pelo médico a fim de se obter mais tranquilidade e alívio dos sintomas de ansiedade e estresse.

Estes medicamentos são as benzodiazepinas, os antidepressivos e outras classes de remédios.

Cabe ressaltar, que o uso de medicamentos sempre deve ser consultado e prescrito por um médico. Outro ponto importante é que o indivíduo deve entender que o resultado a ser obtido com o consumo de ansiolíticos, é gradual ou seja:

São necessárias algumas semanas de administração do medicamento para a melhora do quadro clínico do paciente.

O que é febre interna em partes isoladas do corpo?

Alguns pacientes relatam que já sentiram “febre nos olhos” ou “febre nas pernas”, entretanto isso é um mito.

Na realidade, é perfeitamente possível que haja uma ampliação de temperatura apenas em uma parte do corpo. Porém, não se trata de uma febre, apenas de uma variação termal.

Este tipo de situação ocorre, geralmente, em casos de alguma enfermidade localizada. Por exemplo, em uma articulação ferida ou em alguma infecção na pele.

Junto a este aumento da temperatura também acontece dor e vermelhidão.

Qual é a importância em diminuir a febre?

Basicamente, tomamos determinadas atitudes para diminuição da febre em vista de acabar com o mal-estar provocado pela mesma.

Mesmo que seja uma febre baixa, ela traz consigo desânimo, indisposição e outros sintomas extremamente desagradáveis.

Ademais, a sua eliminação acarreta na melhora do quadro clínico do indivíduo. E em casos de:

  • Crianças;
  • Idosos;
  • Pacientes portadores de doenças crônicas.

A febre é um dificultador no tratamento de outros possíveis sinais de enfermidades.

Conforme vimos neste artigo, existem diversos tipos de febres. A fim de um diagnóstico preciso e rápido, é indicado por alguns especialistas que a febre seja medida ao longo dos dias, enquanto durar o sintoma.

É possível fazer uma “tabela da febre”, anotando as temperaturas, horários e rotina das atividades realizadas.

Assim, em caso de piora do quadro clínico, ao chegar para o atendimento médico, o paciente poderá esclarecer junto com o médico como a febre tem ocorrido e quais são os momentos de aumento térmico.

Você já sabia informações sobre o que é febre interna e suas consequências? O que você achou desta matéria? Conte pra gente nos comentários. E divulgue esse conteúdo para seus familiares e amigos nas suas redes sociais, afinal, conhecimento sobre saúde é muito importante.

Veja Também

O que é o Aranto e para que ele é indicado?

Você sabe o que é o Aranto e para que ele serve? Esta planta possui como nome científico um verdadeiro “trava-línguas”: bryophyllum daigremontianum. Mas não...

12 Coisas que você precisa Saber sobre o ‘gosto’ da Vagina

Muitas mulheres tendem a ficarem envergonhadas durante um momento íntimo com o seu parceiro. Isso acontece pela insegurança ao pensar no odor liberado pela...

A Tensão Sexual: 22 De Sinais para observar e o Que Fazer em seguida

Compartilhar no Pinterest Você sabe que virar seu estômago faz — parece incrível e terrível ao mesmo tempo — quando você está na companhia de...

O que é Amilase alta ou baixa? Veja o que significa

O que é Amílase? A Amílase é uma enzima digestiva formulada pelo pâncreas e também por glândulas salivares; seu papel consiste em digerir glicogênio...

Assunto relacionado 😉

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.