O que é disgeusia? Saiba agora os sintomas e formas de tratamento

Você sabe o que é disgeusia? Este nome um pouco difícil de falar nada mais é que um conceito médico para explicar a alteração ou diminuição do paladar de um indivíduo.

Nesta matéria vamos adentrar no assunto para desmistificar alguns conceitos, elucidar outros e ajudar as pessoas a terem informações de qualidade e confiáveis.

As mudanças no paladar são muitos mais comuns do que imaginamos e afeta negativamente a qualidade de vida de milhares de pessoas portadoras deste problema.

Essa situação pode acontecer no decorrer da vida ou mesmo logo no após o nascimento do paciente.

Normalmente, quando o problema surge com a pessoa mais velha, ocorre devido ao uso de medicamentação forte ou tratamentos terapêuticos agressivos, como radioterapia e quimioterapia.

Todavia, há situações mais comuns que ocasionam a disgeusia momentânea, apenas por alguns dias, a saber: infecções nasais, resfriados, gripes, faringite, sinusites, dentre outras.

Vamos esclarecer neste artigo todas as características dessa enfermidade, que apesar de não ser grave, causa mal estar e desconforto aos portadores.

Existem na literatura médica 5 tipos de disgeusia, que são:

  1. Ageusia: indica a perda total da capacidade de sentir os sabores de alimentos;
  2. Parageusia: indica a troca de sabores dos alimentos, equivale a sentir o gosto errado da comida/bebida;
  3. Hipogeusia: redução da habilidade de sentir os sabores ou de determinados alimentos em particular;
  4. Hipergeusia: é justamente o contrário do tópico anterior. Neste caso, é possível ter um aumento na sensibilidade aos sabores de alimentos;
  5. Fantogeusia: popularmente chamado de “gosto fantasma”. Os indivíduos nesta situação, reclamam de um constante gosto amargo na boca.

As pessoas que já nascem com algum tipo do problema, sentem desde pequenas que há algo errado com a comida e com o tratamento as experiências melhoram.

Entretanto, as pessoas que sempre possuíam o paladar normal e começam a ter disgeusia, sofrem muito e passam por situações desconfortáveis.

Todavia, a maioria dos casos tem cura e mesmo se não curadas, as alterações podem ser tratadas e beneficiar aos pacientes.

Muitas pessoas que têm essa enfermidade, costuma cozinhar de forma diferenciada, a fim de estimular o paladar.

Como saber se tenho disgeusia?

Essa é uma dúvida muito comum, afinal, quando não sentir o sabor de alimentos pode significar um problema? Vamos esclarecer este e outros pontos agora.

A partir de relatos do paciente, o médico oferecerá um diagnóstico.

É importante buscar a orientação de um profissional de saúde pois em casos mais simples, a prescrição de cuidados será feita na própria consulta.

Contudo, existem casos um pouco mais sérios, em que um neurologista é necessário para identificar a enfermidade e prescrever o tratamento.

Isso se deve, pois há pacientes que sofrem de alterações nervosas em nervos encarregados pelo paladar.

Assim sendo, é necessário atenção aos sinais e em qualquer alteração a ajuda médica é indispensável.

Causas da disgeusia

Além das situações citadas anteriormente, vamos explicar de forma clara o que pode causar essa enfermidade. Aliás, alguns fatores podem (e devem) ser evitados a fim de evitar este e outros problemas de saúde:

Quimioterapia e radioterapia

Principalmente em casos de tratamento de cânceres na região da cabeça e/ou garganta, uma das reações advindas pelo tratamento é a disgeusia.

Inclusive, o mais comum é aquela denominada como fantogeusia, já que muitos pacientes reclamam de diariamente sentirem um gosto amargo na boca;

Tabagismo

Infelizmente, o uso de cigarro não só atrapalha os pulmões, pele e coração dos indivíduos.

O tabagismo favorece o surgimento do que é a disgeusia e muitas pessoas fumantes reclamam que: sentem pouco o gosto de alimentos ou mesmo nem sentem sabor nenhum;

Diabetes desregulada

Devido ao excesso de açúcar no sangue, muitos diabéticos que não tratam corretamente a doença, passam a ter os nervos responsáveis pelos paladares alterados. Assim, suas sensações de sabor ficam muito prejudicadas.

Essa situação é conhecida como “língua diabética” e alguns profissionais da área da saúde, quando ouvem queixas de paladar, costumam solicitar ao paciente um exame de diabetes;

Cirurgias na boca, ouvido ou garganta

Após cirurgias nessas regiões, é possível que o paciente desenvolva uma disgeusia definitiva ou apenas temporária.

Isso pode acontecer se algum nervo responsável pelo paladar for machucado;

Uso contínuo de alguns remédios

A lista com remédios que podem alterar o paladar é gigantesca, com mais de 200 itens no Brasil. Alguns deles são a penicilina, antitireoidianos, lítio, etc.

Deficiência de zinco ou vitamina B12

A deficiência de algumas vitaminas e componentes no organismo podem causar muito desconforto e até problemas mais sérios.

Em casos de falta de zinco e/ou vitamina B12, o indivíduo pode sofrer com a disgeusia.

É importante salientar que pacientes vegetarianos e veganos, devido ao zero consumo de produtos de origem animal, devem fazer uso de vitamina B12 sintética.

Ferimentos no nariz ou boca

Esse ponto dispensa maiores explicações, afinal, com a região da boca ou nariz machucados é quase impossível usufruir de uma boa experiência alimentar.

Vale ressaltar que em casos que nunca ocorre uma cicatrização, é necessária uma avaliação médica para diagnosticar o porquê disto;

Após a explicação mais detalhada sobre o que é disgeusia e suas causas, vamos expor as formas de tratamento dessa enfermidade.

Como tratar a disgeusia

A fim de solucionar a situação, o primeiro passo é identificar o motivo do problema.

Por exemplo, se a enfermidade apareceu depois de um ferimento no nariz ou na boca, basta tratar o machucado e em breve tudo voltará ao normal.

Ou ainda, se o surgimento do incômodo aconteceu logo após o início de um tratamento medicamentoso, é relativamente simples de resolver.

Uma ida ao médico e possivelmente, a troca de medicamento já será capaz de acabar com o problema.

Todavia, em casos mais difíceis de tratar como em cirurgia ou tratamento de câncer, o ideal é seguir algumas dicas médicas e até de nutricionistas para diminuir o desconforto.

Dessa forma, o paciente conseguirá ingerir alimentos saudáveis mas com mais sabores e texturas mais interessantes.

Ademais, sendo ou não portador de disgeusia é importante sempre manter a higiene bucal em dia.

O recomendado pelos dentistas é uma escovação completa, no mínimo 2 vezes ao dia; além disso, é primordial que a língua seja escovada e também o uso do fio dental deve fazer parte da rotina.

Essas atitudes diárias são simples e devem ser seguidas por todos e ensinadas desde cedo para as crianças, pois evitam o surgimento e acúmulo de bactérias que, por sua vez, podem interferir nas condições do paladar.

O que a disgeusia pode acarretar?

Em consonância à diminuição do paladar ocorre, normalmente, a subtração do consumo de alimentos.

Em outras palavras: quanto menos sabor do alimento a pessoa sente, menor é a sua fome e apetite.

Assim, quando uma pessoa tem disgeusia ela tende a comer cada vez menos. Dessa forma ela fica desmotivada em preparar pratos e experimentá-los e reduz cada vez mais sua alimentação.

Principalmente em idosos ou pacientes em luta contra o câncer, esse fator é muito prejudicial. Afinal, comendo menos o indivíduo ingere menos vitaminas, sais minerais e elementos fundamentais para a saúde.

Dessa forma, antes mesmo do tratamento de radioterapia e quimioterapia, alguns médicos já orientam os pacientes sobre os possíveis efeitos colaterais e formas de intervenção que não prejudiquem o tratamento.

Ademais, é fundamental que pacientes nestas condições tenham uma dieta adequada e que ofereça o suporte necessário para a estabilidade do indivíduo.

Afinal, sem nutrientes uma pessoa fica instável e suscetível a doenças, como desnutrição, anemias, dentre outras.

O que é disgeusia: dicas de alimentação

Nos casos de pacientes oncológicos ou com disgeusia devido a outros fatores, algumas dicas simples podem ajudar no processo de melhoria do paladar, são elas:

  • Evitar alimentos muito frios ou muito quentes. O recomendado pelos especialistas é ingerir os alimentos em temperatura ambiente. Dessa forma, é menor a agressão aos nervos responsáveis pelo paladar;

  • Evitar alimentos metálicos ou amargos, como chocolates, café (principalmente fortes) e carnes vermelhas. As proteínas devem ser ingeridas, mas de preferências ovos, peixes e frango.

  • Evitar alimentos com cheiros muito fortes e marcantes;

  • Consumir alimentos bem temperados, mas isso não significa salgados! Os especialistas recomendam o uso de temperos naturais, ervas e especiarias para incrementar a comida;

  • É recomendado ainda que o paciente não coma muito em uma única refeição. O interessante neste tipo de caso é fazer várias refeições ao dia, sempre em pequenas refeições.

Mau hálito e disgeusia

Agora vamos falar de um assunto um pouco constrangedor para alguns. Porém, muito comum e de fácil tratamento o mal hálito.

E não pense que estamos fugindo do tema, nada disso!

Muitos dentistas afirmam que, alguns pacientes desenvolvem disgeusia devido a problemas relacionados ao mau hálito.

Segundo especialistas, muitas pessoas portadoras de halitose têm como queixa principal a disgeusia.

Alguns indivíduos passam anos sofrendo com esta situação e por vergonha e até medo de julgamentos, não procuram um profissional.

É claro que isso só agrava o problema, afinal, em casos de saúde quanto mais rápido ocorre a intervenção médica, melhor.

Ademais, é bom ressaltar que muitas pessoas que tem disgeusia não têm mau hálito e vice-versa.

A fim de saber se o problema de percepção de paladar está relacionado ao mau cheiro bucal, os dentistas costumam realizar exames com aparelhos específicos.

Por exemplo:

  • Alitometria (exame de hálito);
  • organoléptico (exame em que é testado condições olfativas).

Contudo, mesmo se o paciente não for portador de disgeusia, mas, ainda assim, ter mau hálito, é realizado o devido tratamento.

Afinal, como sabemos essa situação acarreta problemas no ambiente de trabalho, relacionamentos sociais, causa insegurança e queda de autoestima.

Resumidamente, o ideal para a saúde e para o bem-estar do indivíduo é a combinação do paladar e um hálito maravilhoso.

Em relação a este último, um tratamento adequado com um profissional é suficiente para o fim da insegurança e dos sintomas desagradáveis, simultaneamente.

Problemas emocionais

Em vistas da conclusão desta matéria, não poderíamos deixar de citar os problemas emocionais que a disgeusia pode acarretar em seus portadores.

Muitas pessoas quando percebem a diminuição ou ausência do paladar ficam tristes, relatam perda abrupta de peso e ficam deprimidas com tal situação.

Isso ocorre principalmente nas pessoas “boas de garfo” ou que gostam de fazer um almoço de domingo para a família.

Afinal, muitas das nossas relações sociais estão relacionadas a alimentação. Por exemplo, fazer lanches e conversar ao redor da mesa, em jantares com os amigos, dentre outras distrações.

Assim, alguns pacientes dessa enfermidade ficam angustiados, chorosos e até evitam o convívio social.

Dentre outras adversidades, alguns indivíduos passam a demonstrar ansiedade e dificuldade para dormir.

Assim, o quadro que já era ruim, tende a piorar ainda mais.

Principalmente em pessoas que passam pelo tratamento de câncer, é necessário e fundamental estar com o emocional em ordem.

O tratamento oncológico, é por si só demasiado agressivo e requer muito do psicológico do paciente.

Algumas pessoas incham, devido aos medicamentos. Porém, outras emagrecem muito. Também há ainda casos de perda de pelos e cabelos, além de manchas de pele.

Dessa forma, essa somatória de fatores unidos a disgeusia fazem da vida do indivíduo uma grande complicação e alguns, se deprimem.

É necessário que a família, os amigos e vizinhos, e todos que rodeiam quem passa por este tipo de situação, tenha empatia e muita calma, afinal. Pois enfermidades nunca são fáceis.

Conclusão

Em caso de diminuição ou ausência do paladar, é indicado que seja observado e até anotado com atenção se isso é um caso isolado ou recorrente.

Assim, se o sintoma permanecer é importante procurar um médico e relatar os sinais e desde quando eles têm ocorrido.

Salientamos não buscar remédios milagrosos na internet e nem se automedicar em hipótese alguma. Isso pode gerar mais problemas como uma intoxicação, por exemplo.

Você já sabia informações sobre o que é disgeusia, seus sintomas e causas? Conhece alguém que tem este problema de saúde?

Conte pra gente o que você achou desta matéria e lembre-se de compartilhar esse conteúdo nas suas redes sociais para seus amigos e familiares. Conhecimento precisa ser dividido sempre!

Veja Também

Está com Cárie? O que é, os sintomas da cárie, causas e tratamento

Quais os sintomas da cárie? As cáries são um dos problemas bucais mais comuns em crianças e adultos. De acordo com o Ministério da...

Chá de oliveira emagrece? Veja seus benefícios e efeitos colaterais

Chá de oliveira emagrece? O chá é uma bebida mundialmente famosa. Preparado por meio da infusão de flores, folhas, ervas e raízes em água...

Como tirar cera do ouvido em casa? Realize a limpeza com segurança

O acúmulo de cera de ouvido é um processo natural o corpo humano e desde muito novos, o hábito de limpar os ouvidos é...

Emagreça em casa! Faça exercícios com ou sem equipamentos

Muitos motivos tornam emagrecer uma necessidade ou um desejo. E, saiba que é possível que você emagreça em casa mesmo achando que não tem...

Assunto relacionado 😉

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.