O que é Amilase alta ou baixa? Veja o que significa

O que é Amílase? A Amílase é uma enzima digestiva formulada pelo pâncreas e também por glândulas salivares; seu papel consiste em digerir glicogênio e amido presentes nos alimentos que são ingeridos.

Os médicos costumam requerer a realização do teste de Amílase sérica com finalidade de investigar possíveis doenças no pâncreas como pancreatite aguda ou mesmo câncer de pâncreas. Comumente, junto a este exame também é realizada a medição da lipase (enzimas que atuam sobre os lipídios).

A partir dos resultados obtidos no exame de Amílase, é possível para o médico avaliar a condição das glândulas salivares e do pâncreas do paciente; em especial nos casos de pancreatite aguda, este exame é muito solicitado já que estudos comprovam que nas primeiras 12 horas de disfunções no pâncreas, os níveis de Amílase no sangue aumentam exponencialmente no corpo do indivíduo.

O que é Amílase na atuação dos órgãos internos?

A Amílase é desprendida, fundamentalmente, pelas glândulas salivares e pelas células do pâncreas. Ela já atua no auxílio da digestão logo na ingestão de um alimento, através da saliva existente na boca e no esôfago.

Com a entrada do alimento no estômago, a Amílase deteriora-se devido ao suco gástrico estomacal. Todavia, no intestino é retomada a operação da enzima, agora liberada pelo pâncreas para auxiliar o fim da digestão dos alimentos ainda existentes no corpo do indivíduo.

O que é Amílase alta?

Quando os níveis de Amílase no sangue do paciente estão altos, há possibilidade de existir alguma irregularidade no funcionamento da glândula salivar, como por exemplo a parotidite; outra situação possível são problemas referentes ao pâncreas como por exemplo: pancreatite aguda e crônica, uso de anticoncepcionais orais, hepatites virais, insuficiência dos rins, dentre outros.

Grande parte dos casos de pancreatite, atestam que o paciente costuma apresentar nos exames de sangue, níveis de Amílase cerca de 6 vezes maiores que o valor de referência clínica. Todavia, isto não está diretamente conectado ao nível da lesão pancreática.

Em casos de danos pancreáticos, os níveis da Amílase no sangue, costumam sofrer alteração entre 2 a 12 horas e estabilizar após cerca de 4 dias. Entretanto, há pacientes diagnosticados com pancreatite em que não foram observados alteração ou aumento do acúmulo de Amílase.

Dessa forma, é essencial para o diagnóstico correto de possíveis disfunções pancreáticas, a realização de outro exame além da medição de Amílase: a dosagem da lipase. Isto ocorre a fim de averiguar alguma anormalidade no pâncreas do paciente.

O que é Amílase baixa?

Vamos agora entender o que representa a Amílase baixa: esse tipo de situação é mais comum em pacientes internados em hospitais, especialmente naqueles onde ocorre a aplicação de doses de glicose.

Assim sendo, neste tipo de situação, é indicado que o exame de dosagem de Amílase, seja realizado após 2 horas do surgimento de sintomas agudos. Dessa forma, o resultado será mais consistente e assertivo.

Ademais, a baixa concentração de Amílase no sangue pode ainda significar danos permanentes às células encarregados pela fabricação de Amílase; devido a isso, pode ser um indício de outros problemas como: a pancreatite crônica, hepatites, fibrose cística avançada, cirrose, dentre outros males.

Para que haja a confirmação ou descarte dos problemas supracitados, é apropriada a realização de outros exames clínicos e laboratoriais. O médico interpretará os exames, além de avaliar as informações do paciente através de observações e sintomas apresentados pelo paciente.

Afinal, quais os sintomas de distúrbios no pâncreas?

Normalmente, os pacientes que possuem algum tipo de problemas no pâncreas, costuma relatar o início dessas perturbações com dores abdominais; esse mal-estar pode ocorrer em toda a região abdominal ou em determinado local, como por exemplo, na parte superior do abdômen.

Entretanto, não é apenas a dor que alerta para alguma doença deste órgão, há também outros sintomas que podem ocorrer, tais como fraqueza e dores musculares, febre, vômitos e náuseas, icterícia, dentre outros.

Abaixo, veremos sintomas de algumas doenças específicas que podem ocorrer deste órgão.

Principais sintomas da pancreatite

Após entender o que é Amílase, vamos adentrar em uma doença comum provocada pela má produção dessa enzima: a pancreatite.

A pancreatite é uma inflamação aguda do pâncreas que acarreta muitas dores abdominais, vômitos, febre, náuseas e mal-estar. Comumente, esses sintomas surgem de forma abrupta e durante pouco tempo.

Entretanto, existe ainda o caso de uma pancreatite crônica que evolui de forma trágica, aniquilando vagarosamente o pâncreas do paciente. Neste segundo problema, os sintomas são menos agressivos, todavia, são mais persistentes e gradativos; os indícios são: mal-estar, náuseas, emagrecimento e as dores abdominais.

As causas para o surgimento da pancreatite podem estar associadas com o alcoolismo, cálculos na vesícula, sobrepeso e outros problemas de saúde. Associada a outras infecções, a pancreatite pode se manifestar de forma grave e até fatal.

Existe tratamento para a pancreatite?

Sim. Existem recursos para a cura e são: tratamentos medicamentosos (que aliviam as dores e atuam na digestão de alimentos), aquisição de hábitos saudáveis e dieta balanceada.

É muito importante que o paciente adquira hábitos sadios como a realização de caminhadas e uma dieta com baixíssima quantidade de gorduras e alimentos industrializados.

Além disso, é contraindicada a ingestão de bebidas alcoólicas e o tabagismo deve ser combatido e evitado a todo o custo. Afinal, tais práticas agravam a situação da pancreatite.

Em alguns casos, quando ocorre complicações ou emergências relacionadas à doença, é possível e até sugerido endoscopia ou cirurgia para que o tratamento ocorra de forma eficaz.

Quais são os sintomas do câncer de pâncreas?

Um dos dificultadores no diagnóstico do câncer pancreático é a ausência de sintomas iniciais. Por isso, ressaltamos a importância da realização de exames clínicos e laboratoriais regularmente (o famoso e temido check-up).

De volta ao assunto do câncer de pâncreas, os indicativos deste problema são: a perda de peso, as dores abdominais, icterícia, diarreia e anemia. Além disso, pacientes com diabetes tipo 2 são mais suscetíveis a desenvolver a doença.

Dessa forma, é muito importante que o portador da diabetes tipo 2 mantenha a doença sob controle, evitando assim, o surgimento de câncer pancreático e outras enfermidades.

Principais causas do surgimento de câncer de pâncreas

Abaixo, estão as causas centrais do aparecimento deste tipo de câncer no indivíduo, que são:

  • Ingestão em excesso de gorduras e alimentos processados;

  • Uso de cigarro;

  • Uso de bebidas alcoólicas;

  • Diabetes tipo 2.

Outro ponto importante e até citado por sindicatos e movimentos de luta dos trabalhadores, é a relação entre o câncer pancreático e o uso de pesticidas e solventes. Para a administração deste tipo de produtos, o funcionário de agroindústrias é exposto de forma contínua aos solventes químicos.

Afinal, pesquisas científicas já comprovaram que a exposição prolongada a estes tipos de produtos propicia o surgimento de desenvolvimento do câncer de pâncreas.

É possível tratar o câncer pancreático?

Sim, esta doença pode ser tratada através de radioterapia, quimioterapia e até mesmo com procedimento cirúrgico.

Através de uma cirurgia, é possível realizar o ressecamento do tumor. Associada ou não à cirurgia, podem ser aplicadas as técnicas de radioterapia ou quimioterapia a fim de diminuir a dimensão do tumor e reduzir os sintomas.

Entretanto, quando ocorre metástase (propagação do câncer para os demais órgãos do corpo do indivíduo), o recurso terapêutico é paliativo e tem como função apenas o alívio de dores e demais sintomas.

Qual é a importância de um pâncreas saudável?

A realização de exames de sangue, fezes e urina são fundamentais para a avaliação da saúde, a prevenção de doenças e para a melhora da qualidade de vida. Agora que já sabemos o que é Amílase e que os indicativos de Amílase alta ou baixa auxiliam no diagnóstico de enfermidades, é necessário sempre realizar check-up e cuidar da dosagem dessa enzima no organismo.

Um pâncreas saudável é importante, aliás, é necessário que todos os órgãos estejam em boas condições para o funcionamento adequado do corpo humano. Todavia, vamos falar um pouco mais sobre o pâncreas e sua importância.

O pâncreas é uma glândula situada entre a coluna vertebral e o estômago. Ele é o encarregado pela geração de duas substâncias essenciais: a insulina e a Amílase.

A insulina é um hormônio incumbido pelo controle da quantidade de açúcar existente no sangue. Já a Amílase é uma enzima que atua na digestão dos alimentos. Esse elemento “quebra” o glicogênio e o amido existentes nos carboidratos, transformando-os em moléculas bem menores.

Os médicos e especialistas da área de saúde sempre afirmam e reforçam a tese de que a prevenção é sempre o melhor remédio. Dessa forma, vamos nos inteirar sobre a relevância de ter a Amílase controlada e ainda, saber quais são os exames que devem ser pedidos pelos médicos.

Para quê monitorar a Amílase?

Como vimos anteriormente, o desequilíbrio na produção e atuação dessa enzima, pode acarretar em doenças sérias no pâncreas; além disso, através de exames para saber se a Amílase está alta ou baixa, ainda é possível detectar problemas em outros órgãos, como, por exemplo, nos rins.

Como é feito o exame?

A testagem da quantidade de Amílase presente no nosso organismo pode ser feita de duas maneiras: através de exame de sangue ou pelo exame de urina.

A forma de realização dos exames, costumam variar de acordo com o laboratório onde será realizado o procedimento. Normalmente, a urina pode ser coletada no período de 2 a 24 horas antes da análise. E o exame de sangue, na maioria das vezes, não requer jejum preliminar.

Em todo caso, é importante e observar as instruções do médico e/ou laboratório onde será realizado o procedimento.

Referência do exame de sangue: valores

De acordo com os laboratórios e técnicas empregadas, existe variação de valores de referência da testagem de Amílase.

Porém, normalmente pode variar entre 30 a 118 U/L de sangue em indivíduos abaixo dos 60 anos de idade e até 151 U/L de sangue para a população acima de 60 anos.

Já para a testagem de lipase, que costuma ser solicitada com a Amílase, os índices são considerados normais até 160 U/L de sangue, e como os demais exames laboratoriais, pode diferir um pouco de acordo com a forma de análise de cada laboratório.

Referência do exame de urina: valores

Em exames de urina, a quantidade de Amílase varia de acordo com o tempo de coleta; os indicadores costuma ser:

  • A coleta de 2 horas deve possuir 2 a 34 U/H (unidade/hora) de Amílase;

  • A coleta de 24 horas deve conter 24 a 408 U/H (unidade/hora) de Amílase.

Estou com pancreatite e agora?

Algumas pessoas após realizarem os exames aqui citados e conversarem com seus médicos, descobrem que são portadores de pancreatite. Fiquemos tranquilos e atentos para os tratamentos.

Vale ressaltar que existem duas categorias desta mesma doença: a pancreatite crônica e a aguda. A pancreatite crônica costuma ocorrer, na maioria dos casos, em indivíduos que ingerem frequentemente álcool.

Por outro lado, a pancreatite aguda possui como principais causadores os cálculos na via biliar ou nas vesículas.

A fim de aliviar os sintomas da doença e ter melhoria de qualidade de vida, o paciente deve saber o que é Amílas.

Se informar sobre a doença, manter hábitos saudáveis, praticar atividades físicas, além de evitar o consumo de álcool e tabagismo.

É pertinente salientar que a dieta deste tipo de paciente deve ser rica em proteínas e carboidratos saudáveis. Porém, deve ser pobre em consumo de gorduras e alimentos industrializados.

Alguns alimentos são bons para o consumo em pacientes de pancreatite. Por exemplo aqueles baseados em carboidratos complexos, como comidas ricas em fibras:

Por exemplo:

  • Arroz integral;
  • Batata-doce (branca ou roxa);
  • Pães integrais.

Além disso, é recomendado a ingestão de proteínas magras.

Sempre se oriente com um médico

Estas orientações funcionam como uma bússola para nos ajudar a manter a saúde em dia, o peso sob controle e o check-up em ordem.

Demais diretrizes, prescrições e explicações poderão ser informados pelo médico e demais profissionais da área da saúde.

Você já sabia informações sobre o que é Amílase alta ou baixa e suas consequências? O que você achou deste artigo? Conte pra gente nos comentários. E divulgue essa matéria para seus familiares e amigos nas suas redes sociais.

Veja Também

Está com Cárie? O que é, os sintomas da cárie, causas e tratamento

Quais os sintomas da cárie? As cáries são um dos problemas bucais mais comuns em crianças e adultos. De acordo com o Ministério da...

Chá de oliveira emagrece? Veja seus benefícios e efeitos colaterais

Chá de oliveira emagrece? O chá é uma bebida mundialmente famosa. Preparado por meio da infusão de flores, folhas, ervas e raízes em água...

12 curiosidades sobre o cheiro da vagina que você precisa saber

Muitas mulheres tendem a ficarem envergonhadas durante um momento íntimo com o seu parceiro. Isso acontece pela insegurança ao pensar no odor liberado pela...

Como tirar cera do ouvido em casa? Realize a limpeza com segurança

O acúmulo de cera de ouvido é um processo natural o corpo humano e desde muito novos, o hábito de limpar os ouvidos é...

Assunto relacionado 😉

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.