Conheça o óleo de pinho: seus benefícios, propriedades e indicações

O óleo de pinho, também denominado como óleo essencial de pinho, constitui-se como uma mistura de álcoois e hidrocarbonetos.

Ambas as substâncias são da classe química dos terpenos. De acordo com o próprio nome do óleo, ele é extraído do pinheiro.

Os terpenos, nome técnico citado, dispõem de atributos comprovados cientificamente como agentes bactericidas, anti-inflamatórios, fungicidas e até mesmo anticancerígenos.

Além disso, neste artigo será descrito que os benefícios não param por aí.

Este óleo é retirado da árvore conhecida como “pinheiro agulha” ou com nome científico “pinus sylvestris”; algumas pessoas chegam a brincar que o óleo tem cheiro de árvore de Natal.

Assim sendo, o produto possui um cheiro bem marcante de pinheiros, conhecido como “odor pináceo”.

Ele se apresenta como um líquido incolor ou amarelado, de textura oleosa e possui diversas utilizações, como aromatizantes e bactericidas em artigos de limpeza industrial, hospitalar e doméstica, como por exemplo, é usado em desinfetantes de uso geral, lustra móveis e purificadores de ar.

Entretanto, este óleo não possui utilidade apenas como um produto de higienização e limpeza geral.

Após estudos na área de aromaterapia e fitoterapia, foi descoberto seu funcionamento como um poderoso óleo essencial.

Abaixo, vamos entender melhor sobre este assunto.

O que são os óleos essenciais?

Os óleos essenciais são estruturas vegetais concentradas e que através da utilização correta, oferecem diversos benefícios aos usuários.

Estas substâncias percorrem nosso corpo através da inalação ou contato com a pele, e assim, são assimilados pela corrente sanguínea e metabolizados pelo organismo.

Estas substâncias têm adquirido fama e popularidade com o passar dos anos, já que demonstraram através de estudos científicos e pesquisas sérias, serem possíveis alternativas aos tratamentos medicamentosos tradicionais.

Logo, o que não faz mal e oferece benefícios deve ser encorajado, não é mesmo?

Dentre diversos estudos realizados, foi identificado no óleo de pinho as suas características, propriedades e benefícios.

Também foram anotadas as precauções para sua utilização e possíveis efeitos colaterais. Ademais, é importante entender como esse óleo essencial pode nos ajudar em diversas esferas da nossa vida.

Vamos entender melhor todas essas considerações e aprender a utilizar corretamente o produto.

Afinal, o que é o óleo essencial de pinho?

Considerado um óleo essencial, esta substância feita a partir dos pinheiros, como já dissemos, proporciona muitas melhorias para o ser humano e agrada muito pelo seu aroma agradável e amadeirado.

Como quaisquer outros óleos essenciais, o óleo de pinho possui efeitos principais e efeitos secundários e discorreremos

sobre as suas peculiaridades. Assim como centenas de outros óleos, o de pinho, tem sido estudado e utilizado há centenas de anos pela medicina alternativa.

É importante salientar que existe grande diferença entre os extratos de óleos utilizados para produtos de limpeza e os óleos essenciais.

Eles são extraídos de partes diferentes da planta e a forma como são manipulados também diferem bastante.

Além disso, os extratos de óleos e os óleos essenciais são recomendados para utilizações divergentes e em quantidades diferentes.

Dessa forma, por serem compostos químicos mais potentes e com grande concentração de elementos, os óleos essenciais devem ser administrados com cautela e em hipótese alguma devem ser ingeridos.

Quais são os benefícios deste óleo para a saúde?

As vantagens da utilização deste óleo são muitas, desde o aroma agradável ao ambiente, a sensação de frescor e limpeza até benefícios para a saúde das pessoas que fazem uso dele.

Devido ao seu cheiro marcante, ele proporciona uma ótima sensação de bem-estar ao escritório, clínica ou casa onde é aplicado.

Ademais, o óleo de pinho tem sido indicado em consultórios de medicina alternativa, como uma solução para questões psicológicas e emocionais, a fim de ajudar os pacientes sem intervenções de medicamentos tradicionais.

Segundo aromaterapeutas e fitoterapeutas, através de pesquisas realizadas na área, é possível afirmar que o óleo consiste em uma poderosa substância que funciona como um óleo de libertação, de ajuda ao próximo e do perdão aos erros do passado.

Ele também possui indicações para uso tópico (que pode ser passado na pele humana), a fim de exterminar micróbios e outros agentes infecciosos.

Assim, ele é indicado para o tratamento de pequenas queimaduras e breves infecções de pele.

Além disso, este óleo também pode ser utilizado como um anti-inflamatório em algumas situações, dentre elas no tratamento de eczema ou acne.

Algumas pessoas também manuseiam o óleo de pinho para tratar as dores musculares ocasionadas pelo excesso de atividades físicas, dores físicas de modo geral e até artrites ou artrose.

Há pessoas que usam esta substância para alívio, inclusive, de dores crônicas como lombalgias e hérnias de disco.

Vale ressaltar que existem outros óleos essenciais no mercado brasileiro, que também funcionam como anti-inflamatórios, como o óleo de arnica, o óleo de gengibre e o óleo de hortelã.

Todos estes produtos possuem efeitos benéficos para os seres humanos; alguns oferecem auxílio para acalmar as pessoas, outros têm poder cicatrizante, outros ainda estimulam e energizam os usuários do artefato.

Óleo de pinho: o óleo da libertação

Conforme dissemos anteriormente, para a medicina alternativa o este óleo possui diversas propriedades que auxiliam os indivíduos à amenização do sentimento de culpa, desconsolo, autopunição, ressentimento e mágoa.

Além disso, aromaterapeutas e demais profissionais da área de medicina alternativa, afirmam que ele induz os usuários a acabar com situações de autossabotagem e de baixa autoestima.

Dessa forma, fitoterapeutas costumam orientar seus pacientes em relação ao uso e administração de óleos essenciais da seguinte forma:

Eles esclarecem que os produtos atuam em três frentes diferentes no corpo do paciente: na esfera mental, no ambiente físico e também na competência vibracional.

Para estes profissionais, o óleo da libertação e do perdão (como o óleo de pinho é nomeado) ajuda o paciente no processo do perdão, do fim da vitimização, além de funcionar como um agente de limpeza (neste caso, na área mental): libertando-o de pensamentos negativos e obsessivos.

Assim sendo, ao utilizar o óleo e seguindo todas as recomendações terapêuticas, é possível que a pessoa usuária do produto adquira enfim, autocontrole e meios para sair de situações, até então, tidas como indecifráveis.

Ademais, mesmo em consultórios alternativos, os demais benefícios deste óleo são mencionados, como por exemplo, sua função no alívio de dores físicas, tratamento de sinusite e rinite, seu auxílio no combate a resfriados e também no cuidado de peles oleosas.

Como utilizar o óleo de pinho?

Abaixo, vamos orientar como se beneficiar do uso deste óleo e como administrá-lo corretamente e sem riscos para a sua saúde:

Como fazer o uso tópico:

Em casos de queimaduras, pequenas lesões ou para melhoria da qualidade de pele oleosa, é indicado o uso dele em pequenas quantidades de modo a massagear a área desejada.

É muito importante ressaltar que este óleo deve ser diluído em outro óleo antes da aplicação na pele.

Ele pode ser misturado no óleo de coco ou no óleo de jojoba, por exemplo.

Em caso de peles sensíveis ou debilitadas é importante realizar um teste de aplicação 24 horas antes do uso tópico.

Assim, indicamos a aplicação deste óleo diluído em outro óleo numa pequena parte do corpo, antes de utilizar diretamente na área necessitada, a fim de saber se não haverá reação química adversa.

Como utilizar para aromatizar o ambiente

Para a aromatização do local de trabalho, clínica ou mesmo de casa, é indicado o uso de um difusor ou umidificador.

Estes aparelhos com o auxílio de certa quantidade de água, dispensarão no ambiente o agradável cheiro amadeirado do pinho.

Assim, mesmo que o ambiente tenha sido limpo há algumas horas, ele ainda terá o perfume de um lugar que acabou de passar por uma higienização.

Como fazer uso em tratamentos respiratórios

Anteriormente, falamos do óleo de pinho no tratamento de doenças respiratórias como rinite e sinusite, além de gripes e resfriados.

Para realizar esse procedimento, basta inalar o produto que sairá do umidificador ou difusor que existe próximo a você.

Todavia, caso não seja possível fazer isto, é recomendado a inalação direta que deve ser realizada da seguinte forma:

Colocando o vidro do óleo um pouco abaixo do nariz e inspirando-o.

Ainda é permitido a inalação do produto após ele ser administrado em algum lenço de tecido ou mesmo em um lenço de papel.

Assim, basta pingar algumas gotas do óleo no lenço e cheirá-lo algumas vezes, inalando profundamente o perfume do óleo.

Rapidamente, ocorrerá o descongestionamento nasal e logo voltará a facilidade para respirar.

Banho com óleo de pinho

A fim de ter um banho mais relaxante e revigorante, além de usufruir dos demais benefícios deste óleo, muitas pessoas fazem uso deste produto em banhos de banheira, ofurô e hidromassagens.

Vale ressaltar que é necessária grande atenção e cuidado ao entrar e sair da banheira, devido à superfície estar escorregadia.

Basta colocar algumas gotinhas do óleo na banheira de água e aproveitar o momento de higiene e descanso. Este banho proporciona relaxamento físico e alívio do estresse diário.

Quais os efeitos colaterais no uso do óleo de pinho?

Muito indicado em tratamentos da aromaterapia o óleo de pinho, assim como outros óleos essenciais podem oferecer resultados adversos e até inesperados para os usuários.

Ademais, é necessária cautela para o manuseio de todos os óleos essenciais próximos a animais de estimação.

Muitos profissionais também afirmam que crianças, idosos e mulheres grávidas devem ter atenção redobrada a qualquer possível sinal de efeito colateral.

Dentre as possíveis reações adversas, existem casos de pessoas que podem ter coceira, ressecamento na pele, leve inchaço e vermelhidão nos locais de aplicação do produto.

Em caso de algum destes efeitos colaterais, suspenda o uso do óleo imediatamente. Afinal, saúde é coisa séria.

Todavia, essas reações ocorrem em pouquíssimos usuários. Devido a isso, os profissionais fitoterápicos costumam apenas solicitar o teste de 24 horas, citado anteriormente, a fim de evitar tais transtornos.

Cuidados primordiais na administração do óleo

Vamos explicar quais as precauções necessárias para o manuseio correto deste óleo.

Sempre é bom lembrar, que os óleos essenciais são produtos de origem natural. Porém, ainda assim, é indispensável muita prudência na sua utilização.

Mesmo se tratando de um produto natural, seus compostos químicos podem acarretar reações físicas bem como os produtos industrializados e sintéticos provocam.

Por isso, a importância de se informar sobre suas propriedades e forma de administração com profissionais especializados no assunto.

Pessoas com problemas de saúde crônica e mulheres grávidas devem ter maior atenção para usar o produto. Preferência, consultar um médico sobre a aplicação do óleo e quais as quantidades indicadas.

Além disso, vamos reforçar alguns pontos que devem ser sempre lembrados, que são:

  • Utilizar o óleo de pinho sempre diluído em outro óleo (para evitar lesões na pele);
  • Nunca passe óleos essenciais (nenhum deles) em seus olhos ou muito próximo a esta parte do corpo.

Afinal, os olhos são um dos pontos mais sensíveis do corpo humano. Essa é uma área que, em caso de contato com algo nocivo, sofre grande incômodo e atrapalha o dia a dia sob diversos aspectos.

Outra coisa que já foi citada, mas é bom salientar: os óleos essenciais jamais devem ser ingeridos por via oral (bebidos).

Sua ingestão pode ocasionar intoxicações e até envenenamentos. Logo, muito cuidado para guardar este tipo de produto em local seguro de serem apanhados por crianças ou animais domésticos.

Onde posso comprar o óleo de pinho?

Este óleo, assim como outros óleos essenciais, pode ser adquirido em:

  • Lojas de produtos naturais e fitoterápicos;
  • Farmácias comuns (drogarias);
  • Farmácias de manipulação;
  • Clínicas especializadas em medicina alternativa;
  • Lojas online.

Agora que você já sabe todos os benefícios deste óleo e conhece as principais informações acerca deste produto. Utilize-o de maneira correta e usufrua das suas vantagens o mais rápido possível.

Você já conhecia os benefícios do óleo de pinho? Sempre é bom obter informações sobre produtos de qualidade, não é mesmo?

Deixe aqui nos comentários o que você achou deste artigo. E aproveite para divulgar essa matéria para seus familiares e amigos nas suas redes sociais.

Veja Também

Está com Cárie? O que é, os sintomas da cárie, causas e tratamento

Quais os sintomas da cárie? As cáries são um dos problemas bucais mais comuns em crianças e adultos. De acordo com o Ministério da...

Chá de oliveira emagrece? Veja seus benefícios e efeitos colaterais

Chá de oliveira emagrece? O chá é uma bebida mundialmente famosa. Preparado por meio da infusão de flores, folhas, ervas e raízes em água...

Como tirar cera do ouvido em casa? Realize a limpeza com segurança

O acúmulo de cera de ouvido é um processo natural o corpo humano e desde muito novos, o hábito de limpar os ouvidos é...

Emagreça em casa! Faça exercícios com ou sem equipamentos

Muitos motivos tornam emagrecer uma necessidade ou um desejo. E, saiba que é possível que você emagreça em casa mesmo achando que não tem...

Assunto relacionado 😉

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.